quinta-feira, 30 de abril de 2009

Qual o melhor descompactador de arquivos?

WinZip x WinRAR
Qual será o vencedor desta batalha entre os mais famosos compactadores de arquivos? Descubra!

Desde os primórdios da história dos computadores, dois programas vivem em um duelo constante pelo topo da cadeia alimentar dos compactadores: o WinZip e o WinRAR. Tudo bem, essa batalha não é tão antiga assim (teve início em 1995, com o lançamento do WinRAR, quando já existia o seu concorrente), mas certamente já dividiu a cabeça e as opiniões de muitos dos usuários.
Mas afinal, qual o melhor, qual tem mais recursos, estabilidade e é mais rápido para comprimir e descompactar os nossos arquivos diariamente? Nós testamos estas duas feras dos arquivos e trouxemos todas as informações “mastigadas”, justamente para que você possa escolher sem ter qualquer pingo de remorso!

E que fique bem claro: o objetivo deste artigo não é analisar se um formato é melhor que o outro (portanto não reclame do fato do Windows não trazer suporte nativo para arquivos RAR!), mas sim determinar quais dos programas oferece os melhores resultados, performance e maleabilidade a você.
Pronto para mudar seus conceitos? Então vamos aos testes e levantamentos!
Utilização e Recursos
Não fala inglês? Então corra para o WinRAR, uma vez que ele oferece um extenso pacote de idiomas, incluindo o português do Brasil. Entre as demais linguagens estão: polonês, coreano, chinês, italiano, francês e alemão. Quase ninguém fica de fora!

O WinZip, atualmente, conta com apenas algumas traduções para sua interface (distantes do português) e é instalado em inglês por padrão, o que não é nem um pouco agradável (ele parece um alienígena no sistema com os menus fora do idioma padrão). Nesta briga, o WinRAR começa com o pé direito.
Ponto para: WinRAR, por ter muito mais opções.

Interface
Não há como negar que o WinZip em sua 12ª versão aprendeu uma grande lição com o seu concorrente. Agora ele mostra botões enormes (e personalizáveis!) em sua janela principal para facilitar a entrada de comandos e ações, bem como um protótipo de navegador que pode ser ativado com um clique no botão “View Mode”. A tela realmente ficou muito mais atraente.

Pena que os menus não carregam tantas ferramentas quanto o WinRAR, que surpreendentemente é muito menor (1200 KB contra 12600 KB, aproximadamente) e capaz de navegar por pastas do sistema (você pode ir de um disco ao outro sem ter que recorrer ao comando abrir, pois tudo é feito pela janela de visualização).


O melhor de tudo é que o WinRAR, mesmo com tanta coisa, consegue não pesar nos olhos, deixando à mostra (fora dos seus menus) apenas os comandos mais necessários, como as operações de arquivo (extração e adição), reparação, informações, visualização, localização rápida, exclusão e o assistente.
Ponto para: Winrar, pelo explorador embutido e por ser mais completo.

Praticidade de uso
Em termos de versão de avaliação, o WinRAR é muito menos intrusivo que o WinZip, que ao carregar exibe toneladas de avisos e notificações, sejam elas a respeito da compra do produto final ou das associações, avisando-o de que para que seu funcionamento seja pleno ele necessita estar devidamente ligado aos arquivos (e quebrar todas as suas configurações pessoais no processo).
Você pode desativar algumas destas mensagens, mas não há como negar que o procedimento, além de chato, consome um tempinho.

Já para a operação cotidiana de arquivos no seu computador, ambos são quase equivalentes. Eles possuem menus contextuais que são ativados com cliques do botão direito sobre os arquivos a serem executados. A diferença é que, enquanto o WinRAR mantém suas opções diretamente visíveis, o WinZip as agrupa em um menu idêntico ao “Enviar para”.

O problema do WinZip é que ele se perde com vários arquivos selecionados ao mesmo tempo. Ao passo que o WinRAR oferece uma opção para extração individual em pastas, para cada um dos itens, o que o primeiro oferece são opções para adicionar a um novo arquivo compactado. Realmente estranho!
Ponto para: WinRAR. Ele é mais discreto, leve e funcional.


Extensões e compatibilidade
Em termos de quantidade, o WinZip ganha a batalha do suporte para vários formatos, oferecendo compatibilidade com importantes arquivos, como IMG (outro tipo de imagem), BHX, B64, HQX e outros. Mas não se deixe enganar por tamanho, haja vista que muitos dos itens presentes na lista dele estão condensados em um só na do WinRAR (compatível, por exemplo, com o formato 7Zip).
Aliás, o WinRAR traz até uma vantagem: suporte para pacotes JAR (J2ME, Java), permitindo que você navegue pelo conteúdo deles sem a necessidade de extração total. É possível até mesmo editar arquivos de dentro do pacote.
Ponto para: Ambos, por empate técnico.

Recursos
A versão 12 do WinZip trouxe ao programa uma série de melhorias, dentre as quais se destaca o suporte para compressão eficiente de imagens em JPEG (garantindo reduções de 5% a 25% em seus tamanhos, uma margem considerável). O problema é que você deve optar por utilizá-la ou não já na instalação. Ok, mas e daí?
Simples, caso você comprima suas imagens com esta tecnologia, computadores mais antigos ou com versões desatualizadas do aplicativo não serão capazes de ler o arquivo gerado. Um problema sério que inibe muito a idéia de pacotes para transporte facilitado de arquivos.


Como já colocado acima, uma das grandes vantagens do WinRAR é a navegação completa pelo computador pelo próprio programa (com opções de visualização em árvore e outros métodos). Mas a coisa não acaba aí: além de verificar, em alguns casos ele é capaz de recuperar arquivos corrompidos. Ele oferece também atalhos de extração, favoritos, ferramentas de conversão, construção de imagens ISO e até mesmo verificações contra vírus.
Ponto para: WinRAR é muito mais completo que seu rival.

Até aqui a maioria dos combates favoreceu o mais novo competidor, o WinRAR. Mas será que essa tendência permanecerá com a avaliação prática de desempenho?
Vamos conferir!

Velocidade de compactação
Para este teste, separamos três pastas diferentes a serem comprimidas em um único pacote. A primeira contém apenas imagens no formato JPEG (já otimizadas) obtidas com uma câmera digital. São 2.671 arquivos no total, divididos em 23 pastas e com 830 MB em disco. A segunda possui vídeos em alta definição em formato MOV, MPG e AVI para um total de 1.57 GB, separados em 57 arquivos e 18 pastas.
Por fim, a última seleção contém áudio em formato WAV, WMA e MP3. A pasta inteira contém 116 arquivos e 470 MB em seis subdivisões. Todas estas informações podem ser conferidas nas imagens abaixo.

A qualidade selecionada para compressão foi a padrão em ambas as plataformas (normal no WinRAR e Legacy no WinZip). Vale notar que o WinZip foi realmente irritante para os testes, abrindo a sua tela de compra a cada vez que uma rodada era realizada (e o botão muda de posição!). Nos gráficos abaixo, você encontra todos os dados:


Números mais baixos indicam melhor desempenho.
Mesmo competindo fora de seu território (formato RAR), o WinRAR conseguiu uma boa vantagem em relação ao seu rival no que diz respeito à velociadade de compactação. Poucos segundos para você podem não fazer diferença, mas quem lida com arquivos do tipo o dia inteiro vê uma boa economia.
Resultado: WinRAR foi mais veloz em todas as rodadas.

Velocidade de descompactação
Agora os mesmos testes serão refeitos, mas pelo caminho inverso. O arquivo de vídeo, gerado no passo anterior, será desmontado novamente em pastas:

Números mais baixos indicam melhor desempenho.
Resultado: Como colocado no gráfico acima, o WinRAR ganhou em velocidade de descompactação por cerca de dez segundos de vantagem.

Capacidade de compactação
De nada adianta velocidade sem capacidade de comprimir seus arquivos, portanto agora vamos aos tamanhos dos arquivos compactados criados, separados em três qualidades: mais rápida (apenas para organização), padrão — utilizada logo acima — e melhor compressão (disponível). Para o WinZip, optamos pela seleção automática de algorítmo na melhor qualidade, já que é sua função detectar qual deles usar para melhores resultados.
Entretanto, aqui surge um novo problema. Enquanto o WinRAR permite a criação de arquivos auto-executáveis, em RAR ou ZIP, o WinZIP permite apenas a criação de arquivos ZIP, o que é uma limitação e tanto. Para deixarmos as coisas “iguais”, selecionamos apenas o formato ZIP de saída no WinRAR.
Qualidade Baixa


Números mais baixos indicam melhor desempenho.
Ambos apresentam desempenhos equivalentes neste teste, com o WinRAR ganhando por pouco em velocidade, mas com o WinZip ganhando em compactação em dois casos (por uma mísera margem de 2 ou 1 MB).
Resultado: Empate técnico.
Qualidade Normal


Números mais baixos indicam melhor desempenho.
Novamente desempenho similar (e um pouco de ganho em relação ao teste anterior), com reduções de 4% para a pasta de músicas, 13% para as imagens (lembre-se, a tecnologia de compressão de imagem do WinZip foi desativada) e assustadores 43% para vídeos! Se for para guardar estes arquivos no HD por motivo de backup, recomendamos que você os compacte para salvar espaço!
Resultado: Empate Técnico
Qualidade Alta
É importante mencionarmos que o método otimizado de compressão do WinZip 12 utiliza algoritmos LZM de compressão, os quais (conforme colocado pela fabricante) não são compatíveis com versões anteriores do produto.


Números mais baixos indicam melhor desempenho.
Como você pôde notar, o WinRAR não viu absolutamente nenhuma melhora de compressão com o método mais robusto selecionado, ao passo que o WinZip demonstrou avanços bem convincentes no que diz respeito à redução dos arquivos. Intrigados com este tropeço do WinRAR, resolvemos criar arquivos também no formato de compressão RAR para ver se os resultados apareceriam:


Valores de WinZip inclusos apenas para comparações
Com estes resultados, fica óbvio que o WinRAR trabalha muito melhor em seu próprio território, mas ainda assim ele não alcança os novos algoritmos do WinZip (primeiro teste em que ele perde!). Apenas tenha em mente que a seleção para melhor compressão acarreta em uma demora muito maior (cerca de dezoito minutos contra os quatro originais).
Resultado: WinZip é melhor na compactação.

Olhando para as especificações, recursos e praticidade de cada programa, a melhor opção parece ser o WinRAR, haja vista que ele oferece um pacote muito mais completo já de cara (além de outras atualizações e ferramentas que podem ser implementadas posteriormente, sem qualquer custo), mas é com os testes que as dúvidas surgem.
Ele é bem mais veloz que seu concorrente direto, além de oferecer a mesma compressão em qualidade normal, portanto quem apenas “empacota” os lotes de arquivos não tem do que reclamar.
Já em termos de compactação pura, o WinZip 12 se apresenta mais avançado, com tecnologias novas como a compressão de imagens JPEG. Desta forma, é óbvio que seus arquivos acabam sendo menores na saída, mas em contrapartida incompatíveis com outras versões do programa (já pensou perder o acesso ao arquivo na hora de descompactar por não ter acesso ao WinZip mais recente?).
Outra característica a ser levada em consideração é a licença do produto. Enquanto o WinZip funciona como uma demonstração (e exibe toneladas de imagens para compra do produto a cada operação, o que é muito irritante), o WinRAR pode ser utilizado livremente, mesmo após a expiração do período de testes. Apenas depois deste tempo é que uma mensagem rápida passa a ser mostrada.
Depois de todos estes testes e de “pesar” cada uma das vantagens dos programas, tenha uma certeza: o WinZIP 12 até é poderoso na compactação de arquivos de todos os tipos (principalmente imagens no formato JPEG), mas o WinRAR é mais objetivo, leve e eficiente que o WinZIP, oferecendo um retorno maior pelo seu investimento ou mais conforto se você não pretende pagar.
Campeão do duelo:
WinRAR!!!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Ubuntu Jaunty Jackalope 9.04

Ubuntu Jaunty Jackalope 9.04
"Faça o download e instale a nova versão do Ubuntu!"


Ubuntu Jaunty Jackalope é a nova versão deste magnífico sistema operacional gratuito, conhecido por ser fácil de usar para usuários iniciantes, ao mesmo que completo para os que já possuem um bom conhecimento em Linux.

É um sistema ideal para os diversos tipos de máquinas existentes no mercado, como desktops, notebooks e servidores. Funciona perfeitamente em um computador que já contenha o Windows instalado, sendo uma ótima alternativa de migração para o Linux. Sua proposta é ser totalmente gratuito, assim como seus programas incluídos.

A distribuição que conquistou o mundo

Atualmente, o Ubuntu é a distribuição Linux mais usada no mundo, principalmente pelo grande número de funcionalidades presentes no sistema. Grande parte da configuração do Ubuntu pode ser realizada através de janelas gráficas, o que facilita muito o seu uso por parte de usuários iniciantes. Entretanto, para os mais experientes em Linux, também existe a possibilidade de configurar o sistema à moda antiga.

Efeitos visuais bonitos

O Gnome, ambiente gráfico oficial desta distribuição, é muito fácil de ser utilizado, tanto quanto o Windows Explorer do sistema da Microsoft. Todos os seus menus, ícones e barras estão organizados de forma fácil e clara. Em outras palavras, o usuário não irá encontrar grandes dificuldades na adaptação.

Desde algumas versões passadas, o Gnome possui a extensão Compiz Fusion, que incrementa efeitos especiais em seu desktop. Para quem está acostumado com os efeitos do Aero e Flip3D do vista, o Ubuntu reproduz todos eles de maneira até mais eficiente que o Windows.


Instalação fácil de programas

A grande maioria dos programas pode ser instalada de maneira muito simples no Ubuntu, através de um gerenciador de pacotes chamado Synaptic. Para instalar um novo aplicativo, basta abrir o gerenciador e informar o nome do programa desejado. Após, é só escolher quais pacotes serão instalados no PC. Usuários de longa data no Linux podem efetuar o mesmo processo através do famoso comando APT-GET.

Testar o sistema sem instalação

O Ubuntu trabalha com o sistema liveCD, ou seja, é possível testá-lo em sua máquina sem modificar nada. Caso o usuário goste da experiência, existe a opção de efetuar a sua instalação, de maneira bem simples.

NOVIDADES DA NOVA VERSÃO

Como o Ubuntu está em constante desenvolvimento, a sua nova versão, Jaunty Jackalope 9.04, está ainda mais acessível do que antes. Existem várias tarefas que estão ainda mais simples de serem executadas agora, as quais vamos explicar a seguir.

Instalação do Ubuntu

A Instalação do Ubuntu já era simples de ser realizada nas versões anteriores , visto que todos os passos estão descritos de maneira bem clara. Agora, as etapas estão ainda mais detalhadas, com mini explicações ao lado das opções. Por exemplo, a tela de escolha de fuso horário está com o seguinte layout:



Aplicativos Atualizados

O Jaunty Jackalope também inclui por padrão as novas versões dos principais aplicativos livres do mercado. Podemos citar o ambiente Gnome 2.26, o navegador Firefox 3.0, a suíte de trabalho OpenOffice 3.0, entre outros.

Melhorias de Sistema

Esta versão trabalha começa a trabalhar com o EXT4, um novo sistema de arquivos que possui grandes avanços em relação ao seu antecessor EXT3. Em outras palavras, as tarefas que trabalham com o disco rígido serão executadas de maneira mais rápida. O tempo de Boot do sistema também diminuiu consideravelmente.

Além das já citadas, o Ubuntu possui várias outras novas funcionalidades, as quais podem ser conferidas através do uso desta versão.

Nossa Opinião Acima você conferiu uma descrição completa sobre o Ubuntu e suas funcionalidades, saiba agora o que achamos dele:
O Ubuntu é a distribuição Linux mais usada da atualidade, principalmente por agradar tanto usuários iniciantes quanto experientes. A grande qualidade de seus efeitos gráficos e a fácil instalação do sistema e de seus programas contribuem bastante para sua popularidade.

Nesta versão, Jaunty Jacklope 9.10, todas as boas características do Ubuntu foram mantidas ou melhoradas. Por exemplo, agora está ainda mais fácil instalar o sistema no computador. Do mesmo, modo, o boot tornou-se mais rápido.

Para você que é amante do linux então vai gostar da nova versão do Ubuntu, para desfrutar desta basta clicar no link a seguir http://ubuntu.c3sl.ufpr.br/releases/jaunty/ubuntu-9.04-desktop-i386.iso

domingo, 26 de abril de 2009

Desative serviços perigosos do Windows

Como desativar serviços perigosos do Windows e procedimentos que o tornam mais seguro:

Vá ao menu: Iniciar - Painel de Controle - Ferramentas administrativas - Serviços e desative os seguintes serviços:
- Área de Armazenamento (desative só essa área de armazenamento, pois há também o armazenamento protegido que você deve deixar ativado);
- Auxiliar NetBIOS TCP/IP;
- Compartilhamento remoto da área de trabalho do NetMeeting;
- Gerenciador de conexão de acesso remoto automático;
- Gerenciador de sessão de ajuda de área de trabalho remota;
- Roteamento e acesso remoto;
- Registro remoto;
- Telnet;
É muito importante desativar todos esses serviços acima, pois todos eles oferecem um grande risco à segurança do seu computador, a não ser que você precise muito de algum deles, embora a maioria das pessoas não precise desses serviços acima. Para desativá-los é só você clicar com o botão direito do mouse sobre o serviço e escolher a opção: Propriedades - em Tipo de inicialização selecione a opção: Desativado. - Clique no botão: Aplicar e no botão: Ok. Depois é só ir repetindo este processo até desativar todos os serviços descritos acima.

Se você não compartilha a sua impressora com outros computadores, também é muito importante desativar a opção de compartilhamento de impressora, que oferece um grande risco de segurança ao seu computador. Para isso, é só você ir no menu: Iniciar – Painel de Controle – Conexões de rede – Clique com o botão direito do mouse sobre o ícone de alguma conexão que estiver ativa em seu computador e escolha a opção: Propriedades – Clique na aba Rede (ou na aba Geral, isso depende de qual conexão você está acessando) e selecione o serviço: “Compartilhamento de arquivos e impressoras para redes Microsoft” e clique no botão Desinstalar. Aí é só ir seguindo os passos que o programa de desinstalação vai te passando.

Vá no menu: Iniciar – Painel de Controle – Sistema – Remoto – desmarque a opção: Permitir o envio de convites de assistência remota deste computador. (se esta opção já estiver desmarcada, então deixe-a como está) – Clique no botão: Aplicar e no botão: Ok.
Com esses procedimentos você estará menos vulnerável aos hackers (desocupados da internet que inventam programas maliciosos). Se você gostou desta dica de sua opinião.




Edite suas imagens com o PicPick



"Editor de imagens completo que não necessita de instalação e ainda está disponível em português."

Com o PicPick, você não precisa mais se preocupar em utilizar outros programas para editar as imagens que você capturou da tela. O aplicativo traz junto, além de captura de telas, um editor de imagens simples, para realizar pequenas tarefas.
Como ele não requer nenhuma instalação, basta abri-lo para que ele apareça no canto de sua tela, na barra do sistema. Na primeira tela que é aberta, você pode definir se quer que ele sempre seja aberto ao inicializar o Windows, e se quer adicionar um ícone do desktop. A opção mais interessante é o fato de poder escolher a nossa língua, deixando em “Portuguese”.
Ótimas utilidades em teclas de atalho

Hot Keys trará para você todos os atalhos que o programa já definiu por padrão para capturas de tela. Além disso, alguns atalhos podem ser muito úteis para webdesigners. É o que acontece em atalhos como Color Picker e Color Palette. Ao pressionar as teclas, um painel de cores é aberto, com os códigos em HTML e RGB.


Em Pixel Ruler, você encontrará, literalmente, uma régua para medir os pixels. Pode ser muito útil se você quer saber o tamanho de uma região da tela para fazer uma imagem, por exemplo. Outra ferramenta interessante é o WhiteBoard, que transforma a tela em uma espécie de quadro e o mouse em uma caneta, possibilitando que você “risque” a tela.

• Color Picker — Shift + Ctrl + C
• Color Palette — Shift + Ctrl + V
• Pixel Ruler — Shift + Ctrl + R
• WhiteBoard — Shift + Ctrl + P
Todas estas ferramentas também podem ser acessadas ao abrir o Editor de Imagens do PicPick , no menu Ferramentas.

Editor de Imagens

O editor traz funções simples, mas que podem auxiliá-lo em pequenas tarefas que você queira realizar em imagens. Nas ferramentas comuns de edição do PicPick (lado esquerdo da tela), você encontrará ferramenta de seleção, pincel, balde, texto e formas.
Já ao lado direito você verá outros tipos de ajuste, como inversão de cores, alterar para 256 cores, efeito de pixelização, desfoque, nitidez, ajuste de brilho e contraste, regulagem de saturação e outros.


Capturando a tela

Outra função importante que o PicPick traz é a captura de tela (PrintScreen). Assim como em programas como o ScreenHunter e o PrtScr, este aplicativo oferece diversas maneiras diferentes para capturar a tela. É possível fazer isso utilizando os atalhos vistos em Hot Keys, indo no menu Ferramentas do Editor de Imagens, ou clicando com o botão direito no ícone na barra do sistema e selecionando Captura.

Neste ícone da barra do sistema, você também encontra as Configurações de Captura. É lá que você escolhe o que acontece com o que você capturou (se vai abrir diretamente o editor do PicPick ou se vai ser salvo como um arquivo). Em Configurações de Captura > Tipo de Saída, é recomendável escolher a opção Salvar Automaticamente Como, para que seja gerado um arquivo quando são feitas capturas.


No menu Captura você poderá escolher diversas formas de PrintScreen diferentes: tela inteira, janela ativa, área, à mão livre e outras. Há uma interessante chamada Capturar Página da Web. Nesta opção, você escolhe uma janela que esteja aberta no Internet Explorer (não funciona com o Firefox) para que o programa capture o site.


Se você quer baixar este programa, apenas de um click no linck a seguir http://picpick.wiziple.net/picpick.zip . Após ter testado publique um comentário aqui, até breve!

sábado, 25 de abril de 2009

Dica para turbinar sua conexão

Dicas para resolver problemas de conexão e turbinar sua internet

Saiba como verificar se sua navegação está a todo vapor com algumas dicas que identificam falhas na rede.

Existem vários métodos para tirar todo proveito de sua banda. Se a conexão está mais lenta do que o esperado, o problema pode estar dentro de casa. Isso pode ser resolvido com alguns ajustes e configurações.

1 - Verificando a velocidade prometida

Antes de qualquer coisa, confira se a velocidade de transferência está de acordo com a especificada pelo provedor de acesso à internet. Visite um dos sites abaixo para conferir a velocidade da sua conexão.

http://www.speedtest.net/
http://www.rjnet.com.br/1velocimetro.php

Alternativamente, você pode baixar o MySpeed PC para efetuar o teste. Ele é um programa gratuito que mede a velocidade de download e upload através de gráficos. Além disso, ele testa a capacidade da conexão que deve ser igual ao especificado no contrato com o provedor.

Para obter resultados mais precisos, procure realizar os testes em horários de menor tráfego (madrugada e finais de semana). Feche todos os programas que possam realizar transferência de dados, como Messengers, Compartilhadores P2P, etc.

A velocidade que você vê nos aceleradores de downloads, compartilhadores P2P e navegadores está em bytes por segundo. Ou seja, se você possui o plano de 1024 kilobit por segundo (Kbps), por exemplo, a sua velocidade máxima de download será de 128 kilobytes por segundo (KBps). Para outras velocidades, basta fazer a conta: o bite é equivalente a 1/8 (um oitavo) do byte.


O provedor de acesso à internet está me enganando?


O acesso à internet por banda larga no Brasil cresceu muito nos últimos anos para os usuários domésticos. Da mesma forma, as reclamações de consumidores insatisfeitos com os serviços também cresceram — a maioria delas por causa da velocidade da conexão.


A velocidade de download não é exatamente o que as companhias anunciam. Todas elas praticam o chamado “overselling”, ou seja, as empresas vendem o mesmo link de dados para várias pessoas (em torno de 30 por link).

As companhias levam em conta que os usuários não utilizarão toda banda disponível ao mesmo tempo. Isso acarreta lentidão nas conexões em horários de pico. Uma das saídas utilizadas por elas é o “traffic shaping”, que consiste em bloquear o tráfego de dados provenientes de compartilhadores P2P.


É por isso que as empresas conseguem vender planos de 4, 6 ou 10 Megabits a preços acessíveis para usuários domésticos. Links dedicados (empresariais) possuem uma banda fixa e não possuem grandes variações na taxa de transferência, no entanto são bem mais caros.


2 - Elimine qualquer intruso


Primeiramente, verifique se o seu computador está livre de vírus, spywares, trojans e pragas em geral. Muitos deles utilizam a internet para enviar dados pessoais e se espalhar pela internet. Atualize o programa antivírus e faça uma varredura geral no computador.

Depois, verifique se existe algum programa “intrometido”. Para isso, baixe e instale o Bitmeter II. Ele é um programa gratuito que mostra o status da conexão em tempo real através de gráficos. Desligue todos os programas que utilizam conexão com a internet e observe o gráfico para verificar se existem conexões não autorizadas.

3 - Troque o modem ou atualize o firmware


Caso você possua um contrato de conexão banda larga antigo, verifique se o modem fornecido pelo provedor de internet possui um modelo novo. A simples troca de aparelho pode ocasionar uma melhora significativa no fluxo de dados.
Mesmo sendo um modelo novo, verifique se o modem possui a última versão do firmware instalada. O firmware é um software que controla internamente os equipamentos eletrônicos e sua atualização pode trazer melhoras na conexão. Para saber a versão do firmware, você precisará entrar na interface de configuração do modem.

Configurando o modem


Primeiramente, você terá que descobrir o IP do modem. Para isso, vá até ao Menu Iniciar e clique em Executar. Digite "cmd" na linha de comando (sem as aspas) e pressione Enter. Se você é usuário do Windows 98, digite "command" ao invés de "cmd".

Digite "ipconfig" na janela que abrir e pressione Enter novamente. O IP do modem que você procura será o valor do “Gateway Padrão”. Anote este número e digite em seu navegador (Firefox, Internet Explorer, etc.).



Depois, é bem provável que você precise digitar um nome de usuário e uma senha para acessar as configurações. Caso você não tenha alterado estes dados quando instalou pela primeira vez, consulte novamente o manual para obter o login e senha padrão.



Uma vez logado, procure pelo número da versão do firmware na página de status. Procure no site do fabricante qual a última versão do firmware disponível. Caso precise atualizar, siga os procedimentos a partir da interface de configuração.


No site de suporte do modem D-Link, existem vários emuladores dos modelos da marca. Entre no site e clique no link Emulators. Procure o modelo do seu modem e faça um teste. Se ele pedir um nome de usuário e senha, apenas clique em OK.

Reinicie o modem e o computador e realize novamente os testes de velocidade acima. Além da melhora no tráfego de dados, a troca do modem ou a atualização de firmware podem resolver problemas de queda de conexão.

4 - Verifique as configurações do modem

Enquanto estiver na interface de configuração do modem, aproveite para dar uma olhada nos parâmetros de configurações. A velocidade máxima de download e upload permitida devem estar de acordo com o plano contratado junto ao provedor de acesso. Se os valores divergirem, ligue para seu provedor de acesso e peça que eles o ajudem a configurar.

5 - Dê uma geral na fiação

Cabos velhos e mal instalados prejudicam a estabilidade do sinal e causam queda de conexão. Procure eliminar emendas e extensões na linha telefônica ou no cabo.
No caso do ADSL, os usuários utilizam filtros de linha para cada telefone. Assim, o sinal ADSL percorre todas as extensões da casa até encontrar o filtro, o que prejudica o sinal. O mais recomendado é fazer a interceptação do sinal quando a fiação chega à residência. Coloque um único filtro para todos os telefones e estique um cabo exclusivamente para o computador.



Faça um teste: tire o telefone do gancho e disque 2, se você ouvir algum zumbido ou chiado, verifique se as tomadas estão em boas condições e faça o teste novamente. Se o problema persistir, pode ser problema no aterramento da central que fica na rua e só a companhia telefônica pode resolver isso.

Por último, mas não menos importante, verifique se sua casa possui um sistema de aterramento apropriado e se os eletrodomésticos estão conectados a ele. Fios elétricos com excesso de tensão (voltagem) podem causar ruídos na linha. Além disso, o aterramento é uma questão de segurança.

6 - Configure seus programas

Se você fez todos os passos até aqui e sua conexão melhorou, é hora conferir algumas dicas de como turbinar sua conexão e usar até o último bit por segundo disponível. Otimize seu sistema e programas, afinal, internet rápida com um computador lento não ajuda muito.

Existem diversas ferramentas que fazem uma verdadeira faxina no seu computador. Confira em instantes neste blog programas que ajudam a manter seu sistema limpinho. Eles permitem corrigir entradas inválidas de registro do sistema, limpar históricos de atividades, desinstalar programas, entre outros.

Com a “casa” limpa, está na hora de acelerar seus downloads com um dos gerenciadores de downloads disponíveis, em poucos dias, neste blog.

Se você usa o Firefox para navegar pela internet, dois programas devem fazer parte de suas extensões. O Firetune melhora o desempenho do programa e é ideal para computadores mais lentos. O Fasterfox, por outro lado, otimiza a navegação e carrega as páginas mais rapidamente.

Conclusão

Um problema pode ter várias causas, mas também existem diversas opções para solucioná-lo. Fique atento para não ser enganado pelas empresas provedoras de acesso e verifique se todos os equipamentos estão em ordem. Feito isso, você pode tirar proveito de toda banda disponível para realizar suas transferências e navegar tranqüilo.

Mantenha privacidade em computadores compatilhados

Como manter sua privacidade protegida ao compartilhar um computador ?
Tanto em casa quanto no trabalho, privacidade ao usar a Internet pode ser fundamental.

Um dos aspectos mais importantes para muitos usuários de computadores pessoais é a questão da privacidade. Compartilhar o computador com outras pessoas, em sua casa ou principalmente fora dela, como em escritórios, por exemplo, pode atrair a atenção de curiosos, o que pode ser prejudicial para você e para a sua imagem, devido à interpretações muitas vezes equivocadas dos dados encontrados.

Por estes motivos, estar atento quanto ao que você “deixa para trás” ao utilizar computadores compartilhados é algo imprescindível. Nos parágrafos abaixo, darei algumas dicas para você se manter mais protegido quanto aos rastros normalmente deixados ao fazer uso da Internet.
Mensageiros instantâneos
Todos os aplicativos para chat em tempo real, como o Windows Live Messenger ou o Skype, contém opções quanto ao histórico das mensagens que você envia e recebe através deles. O grande problema do Messenger, por exemplo, é que ele salva o seu histórico em um arquivo que pode ser encontrado e aberto facilmente por qualquer pessoa.
Por padrão, ele fica armazenado na pasta “Meus arquivos recebidos”, a mesma que armazena os dados que nossos amigos nos enviam pela janela de conversa. No entanto, melhor do que ter que apagar o arquivo constantemente é desabilitar a função.
Ao fazer login pela primeira vez no programa, quando você fechar a primeira janela de conversa, ele perguntará se você deseja salvá-las no computador. Caso você tenha respondido positivamente e se arrependeu, não se preocupe. Basta, nas opções do programa, selecionar a aba “Mensagens”, desabilitando a função de manter um histórico das suas conversas.

Navegadores
Outro problema relacionado à privacidade nos computadores é quanto às ferramentas de histórico de sites acessados, presente em praticamente todos os navegadores. Se outra pessoa quiser saber os sites que você acessa, basta ela ativar esta função e conferir todos os locais visitados por você nas últimas semanas.
Você pode apagar os seus dados manualmente, como explicado neste artigo. No entanto, também é possível configurar a função, para que ela sempre realize ações referentes ao histórico a cada vez que você fechar o navegador.
Firefox
1. Acesse Ferramentas>Opções.


2. Na aba “Privacidade”, clique no botão “Configurar”, na parte inferior da tela.


3. Escolha os dados que você não deseja que sejam salvos.


4. Marque a caixa de seleção, como na figura abaixo e confirme as alterações.


Internet Explorer
1. Acesse Ferramentas>Opções da Internet
2. Na aba “Geral”, acione a opção “Excluir histórico de navegação ao sair”, ou configure as opções antes disso.


Desta forma, seus navegadores estarão livres de problemas quanto à gravação inapropriada de sites e tudo o que for relativo ao seu acesso à Internet.
InPrivate
O novíssimo recurso InPrivate do Internet Explorer 8 é exatamente o que precisamos em algumas situações, pois a função basicamente desabilita, enquanto dentro dela, todos os dados de navegação. Para fazer uso dele, basta abrir uma nova aba, escolhendo a opção como indicado na figura.


Privacidade e responsabilidade
Não interessando o tipo de conteúdo que você acessa em casa ou no trabalho, é sempre importante ter a noção de que situações e dados mal interpretados podem comprometer a nossa imagem, e em muitos casos se tornar algo mais sério. Muitas vezes, mesmo sem a intenção de passar uma idéia errada em relação aos sites que frequentamos, podemos ser mal compreendidos aos olhos alheios.

Mude a velocidade de exibição dos menus do windows

Como mudar a velocidade de exibição dos menus do Windows

A baixa velocidade com a qual os menus do seu sistema abrem lhe deixam louco? Então aprenda a aumentá-la!

Se você odeia ficar “horas” esperando para criar uma nova pasta/arquivo, ou mesmo na hora de acessar algo através do menu Iniciar, este tutorial é para você! Isso porque nele você poderá aprender a diminuir o tempo com que os menus do Windows demoram a serem abertos!

Está esperando o quê? Mãos à obra!

Para fazer isso, será necessário alterar o valor de um registro do Windows chamado “MenuShowDelay”. Mas antes de fazermos isso, será necessário criar um arquivo de backup para caso algo dê errado durante o processo.
Para isso, primeiramente, abra o menu “Iniciar” e clique em “Executar...”:

Em seguida, digite “regedit” e clique em “OK”.


Abra o menu “Arquivo”, selecione “Exportar...” e salve o seu backup.



Agora, expanda as pastas “HKEY_CURRENT_USER”, “Control Panel” e selecione “Desktop”.


Feito isso, dê um duplo clique em “MenuShowDelay”, altere seu valor para “0” (zero) e clique em “OK”. Por fim, feche o “Editor de Registro” e reinicie seu computador para que essa alteração surta efeito.


Caso algo tenha dado errado ou você simplesmente queira voltar à velocidade antiga de exibição dos menus, basta executar o backup criado e selecionar “Sim” quando uma janela de confirmação aparecer.

Se esta dica deu certo, faça um comentário. Obrigado!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Esquema de Som para o Vista

"Dois novos esquemas de som pra quem gosta de personalizar o Windows Vista!"

O Windows Vista Ultimate Extras Sound Schemes é um pacote de arquivos de som que pode ser utilizados pelo Windows Vista. Trata-se de mais uma opção de esquema de som para o mais novo sistema operacional da Microsoft.




O pacote contém dois esquemas inéditos: "Extras do Ultimate Glass" e "Extras do Ultimate Pearl", que são instalados no Vista de maneira fácil e vão deixar os sons dos eventos do sistema de cara nova. Confira a seguir como fazer para instalar, utilizar e configurar os novos esquemas.

Duas versões: 32 bits e 64 bits

Atenção, pois quem possui o Vista na versão 64 bits deve fazer um download alternativo: clique aqui para fazer o download para o Windows Vista 64 bits. Já quem utiliza o Windows Vista com arquitetura x86 (32 bits) pode fazer o download normalmente através do link no topo desta página.

Como instalar

A instalação do Windows Vista Ultimate Extras Sound Schemes é bastante simples e não possui segredo algum. Basta executar o arquivo baixado (com dois cliques) para que os novos esquemas de som sejam instalados no PC.

Como utilizar e configurar

Depois de instalados, para utilizar os novos esquemas é só acessar a configuração de som do Windows Vista. Para isso, o usuário deve clicar com o botão direito em qualquer lugar do desktop (área de trabalho) e selecionar a última opção do menu: "Personalizar". Depois, na janela de personalização, é só clicar em "Sons" para que as configurações do áudio do sistema apareçam.

Na aba "Sons", tudo o que o usuário tem a fazer é selecionar um dos novos esquemas no campo "Esquema de Som" e, em seguida, clicar em "Aplicar" e depois "OK". É simples.




Para baixar este ótimo pacote clike no link a seguir http://www.download.windowsupdate.com/msdownload/update/software/updt/2008/04/windowssoundschemes-x86-intl-setup_52f466f83544f350e8ce371236eeffe3566cc083.exe

Mude o painel de som de seu XP para Windows 7


"Nem o painel de som do seu XP vai resistir ao estilo do Windows 7."

Que o Windows 7 é a novidade do ano, ninguém discute. Tão famosos quanto o novo sistema da Microsoft são os pacotes de transformações que deixam o XP com o visual do Windows 7. Então já que a moda é mudar tudo, o painel de som não pode ficar de fora.

Windows 7 Volume mod for XP é um aplicativo que permite aos fascinados pelo Windows 7 modificar a aparência até do painel de som do sistema. Apesar de ser muito simples de fazer, a modificação exige um pouco de atenção para que tudo seja feito sem problema algum.

Copiar, colar e pronto!

Para transformar o painel de som é só copiar e colar alguns arquivos e está pronto. Após baixar o arquivo ZIP, descompacte o conteúdo dele em uma pasta de sua preferência. Para garantir que você poderá voltar às configurações anteriores, abra a pasta “C:\windows\system32” e copie o arquivo sndvol32.exe para alguma pasta diferente daquela na qual você descompactou os arquivos.

Agora você já pode alterar os arquivos sem problema. Abra a ferramenta “Executar” do Windows utilizando o atalho “tecla Windows + R” e digite “dllcache”, pressionando Enter logo em seguida. Copie o arquivo sndvol.exe baixado para dentro desta pasta.



Imagem


Agora, abra novamente o diretório “C:\windows\system32” e copie este mesmo arquivo lá. Pronto! Seu painel de som está com um visual muito mais moderno e elegante, não acha!?

Problemas com a cor

Caso aconteça de as cores no painel não alterem corretamente e uma parte fique com a cor que era exibida no painel anterior, você pode modificar manualmente para que tudo seja exibido corretamente.

Clicando com o botão direito do mouse na Área de Trabalho, clique a opção “Propriedades”. Em seguida, acesse a aba “Aparência” e pressione o botão “Avançadas”. Na lista de opções “Item” que é mostrada, procure por “Objetos 3D”. Clique em “Cor1” e mude para branco. Pronto...





Por fim seu painel ficará desta forma a baixo(para ampliar a imagem clike nela!). Se você quer dar uma levantada em seu XP, deixar com ar de moderno baixe o Windows 7 Volume mod for XP pelo link a seguir: http://fc02.deviantart.com/fs44/f/2009/073/a/8/Windows_7_Volume_mod_for_XP_by_fediaFedia.zip




Som do Windows 7 em seu PC

"Aguce seus cinco sentidos mudando, além do visual, o esquema de sons do seu XP com as novidades sonoras dos 7."

Quem não quer ter a beleza do Windows 7 no seu computador que atire a primeira pedra! É claro que todos estão babando pelas novidades gráficas apresentadas pelo novo sistema operacional da Microsoft. Porém, quando o S.O for lançado, a beleza terá um custo e, infelizmente, bem salgado. Sendo assim, que tala transformar seu velho companheiro de guerra, o XP, em um 7 genérico?

Você já deve ter visto diversos temas que executam esta tarefa, mas você não está esquecendo algo? Se você lembrou-se de mudar apenas a aparência do seu Windows, está na hora de pensar em mais um dos seus cindo sentidos: a audição. De nada adianta mudar as cores e formas do XP se ele ficar com o mesmo esquema de sons.

Veja e ouça

Official Windows 7 Sound Schemes é mais opção de pacote de arquivos para modificar seu XP e torná-lo um aspirante a 7. Este pacote contempla a parte sonora do seu S.O, pois traz um pacotão com diversas opções com esquemas de sons retirados do 7 para complementar a modificação do seu XP.

Barulheira

Se você acha que precisa ficar restrito ao padrão de sons que conhece no XP, com o Official Windows 7 Sound Schemes você tem muito mais liberdade de escolha. O pacote contém quatorze pastas, com a média de vinte arquivos em cada uma, totalizando aproximadamente 240 sons diferentes. É possível mudar todos os sons e ainda optar por qual som combina mais com você.

Como ouvir

Para instalar os novíssimos sons do 7 no seu XP não há segredo. Em primeiro lugar, descompacte a pasta do download. Em seguida, vá até o “Painel de Controle/ Sons e dispositivos de áudio”.

Agora, vá até a aba “Sons” e em “Eventos de programa” clique sobre um evento e, se ele permitir configuração de som, clique em procurar e escolha uma das 240 opções de arquivo da pasta do Official Windows 7 Sound Schemes. Depois de escolher todos os sons, clique em aplicar e se divirta com as novidades.
Se você quer desfrutar um pouco do windows 7 então baixe este pacote por http://www.geeksmack.net/7068/Sound%20Schemes.zip para dar um ar de modernidade em seu XP.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Como atualizar manualmente o Avira?

Nem sempre é possível acessar a internet para atualizarmos o antivírus. Mas o Avira Antivir nos oferece esse benefício de poder atualizá-lo manualmente.

Para isso é só ir no endereço abaixo e fazer o download do Virus Definition File do Avira em um computador que tenha acesso à internet:
http://www.softpedia.com/get/Others/Signatures-Updates/Avira-Antivir-Virus-Definition-File-Update.shtml

Depois disso grave esse arquivo em um cd ou pendrive e leve-o para o outro computador que não tenha acesso à internet. Aí é só dar um duplo clique no símbolo do Avira Antivir (aquele guarda-chuva aberto ao lado do relógio do Windows) - Será aberta a tela principal do Avira - Clique no menu: Update - Manual update... - Selecione o local onde estão as atualizações que você baixou (Virus Definition File) e clique no botão: Abrir - Aí é só ir seguindo os passos que o Avira vai te dando.

Lembre-se de visitar periodicamente o site acima para observar se já existem novas versões das atualizações do Avira e assim que forem lançadas novas versões repita o procedimento descrito acima para manter seu antivírus sempre eficiente e atual.
Pronto! Seu Avira Antivir já está atualizado e pronto para proteger seu computador contra as ameaças da internet
Importante: Este método de atualização é importante para aqueles usuários que não tem acesso à internt. Para aqueles que tem acesso, não é interessante este método, pois a atualização é a mesma da tradicional (via internet).

Quer deixar seu PC mais rápido?

Siga esses procedimentos abaixo periodicamente para deixar seu computador sempre otimizado e em boas condições:

Vá ao menu: Iniciar - Todos os programas - Acessórios - Windows Explorer - Procure pela sua unidade de disco local (normalmente ela é chamada de: Disco local (C:) ou então: Disco local (D:) ou algo semelhante, quando encontrá-la clique com o botão direito sobre esse disco local e selecione a opção: Propriedades - Depois disso, clique sobre a aba: Ferramentas - Então você verá uma opção que se chama: Verificação de erros e então você clica sobre o botão: Verificar agora... - Então você marca as duas opções que estão lá: Corrigir erros do sistema de arquivos automaticamente e a outra opção que é: Procurar setores defeituosos e tentar recuperá-los - Aí então é só clicar no botão: Iniciar e ir seguindo os passos que o programa vai te passando.

Também é importante fazer uma desfragmentação do computador, para isso, vá no menu: Iniciar - Todos os programas - Acessórios - Ferramentas do Sistema - Desfragmentador de disco - Clique no botão: Desfragmentar, e aí é só ir seguindo os passos que o programa vai te passando.

Vá no menu: Iniciar - Todos os programas - Acessórios - Ferramentas do Sistema - Limpeza de disco - Marque as opções: Downloaded Program Files, Temporary Internet Files, Lixeira, Arquivos temporários, Compactar arquivos antigos, Catalogar arquivos para o Indexador de c... - Clique no botão: Ok
Com isso seu computador fica um pouco mais rápido. Se deu certo ou errado faça um comentário abaixo, obrigado.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Atualize o banco de virus do avira

"Mantenha o banco de dados do Avira Antivirus atualizado com as mais recentes definições de vírus"


O arquivo de definições de vírus é um dos principais componentes de um software antivírus. É com base nele que o programa intercepta as ameaças já conhecidas, desde as mais antigas até as mais recentes. Como a cada instante emergem novas pragas, este arquivo de definições é constantemente atualizado, geralmente a cada 24 horas. Este, em especial, contém as definições de vírus mais recentes para o Avira, antivírus gratuito bastante difuso entre os usuários.

VERSÕES SUPORTADAS

• Avira Premium Security Suite.
• Avira AntiVir Windows Workstation.
• Avira AntiVir PersonalEdition Classic.
• Avira AntiVir PersonalEdition Premium

Já são mais de 307.801 downloads. Se você quer atualizar o banco de vírus do seu Avira então baixe por http://dl.antivir.de/down/vdf/ivdf_fusebundle_nt_en.zip .Caso ainda não tenha o Avira, leia (em antivírus) e baixe por este blog.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Conheça o Melhor Antivirus


Avira 9.0.0.386


"Conheça a versão gratuita de um dos antivírus melhor conceituados do mercado e tire suas conclusões!"

Famoso por agregar bom funcionamento e gratuidade, o Avira AntiVir Personal Edition Classic tem conquistado muitos usuários com seus recursos. Depois de fazer sucesso com a versão paga, a qual conquistou 15 milhões de usuários, a Avira GmbH redesenhou o software para uso doméstico, lançando esta versão para entrar na briga dos softwares protetores de arquivos.
O vírus bate a sua porta

Não é de hoje que os piratas da computação têm aprontado com os computadores pessoais. Pelo contrário, com a globalização da internet o caos se alastrou e, hoje, navegar na internet tornou-se cada vez mais perigoso. Os mais experientes que o digam, pois basta entrar num website inescrupuloso e várias portas estarão abertas para os corruptos infestarem seu computador.

Além das formas de transferência de arquivos crescerem muito, existem programas patrocinados por terceiros, os quais — em sua maior parte — instalam spywares ou adwares sem avisar os usuários. A melhor solução é prevenir-se com o que há de melhor no mercado de segurança e o Avira AntiVir Personal Edition Classic é uma das melhores opções que pode lhe ajudar.

A NOVA VERSÃO

Apesar de nãoparecer, a nova versão do Avira Antivir sofreu sim grandesmodificações. A interface foi modificada muito pouco (praticamente só aimagem do topo do aplicativo). Antes só era possível detectar e removerspywares na versão paga do programa. Agora, isso também vem na versãogratuita.

Uma outra novidade é o fato de ser possível colocar ameaças na quarentena com apenas um clique. Você pode também separar essas ameaças para lidar com elas como um grupo ou individualmente, evitando que o antivírus pare e aguarde pelo usuário a cada nova ameaça.
Conhecendo o Avira

Avira AntiVir Personal Edition Classic não possui apenas uma interface bonita, mas também novos mecanismos de busca e limpeza para fazer uma varredura com eficiência e rapidez no seu computador. Obviamente, a “rapidez” do antivírus depende muito mais da capacidade de sua máquina, do que do programa em si.

Com um mecanismo de funcionamento amadurecido, a equipe Avira GmbH focou seus esforços para armazenar todos os antídotos necessários para combater vírus, cavalos-de-tróia, arquivos mal-intencionados e outros tipos de pragas. O programa contém todas as ferramentas essenciais de um antivírus, separando-as por abas em um menu no lado esquerdo da tela:
Overview (Visão geral)

• Estado (Status): Fornece informações sobre atualização, tempo de expiração (as versões gratuitas deste software devem ser atualizadas em intervalos de tempo específicos para prolongar este item), estado do guardião em tempo real e um item mostrando a última vez em que o programa efetuou uma varredura completa em seu sistema.

• Eventos (Events): Mostra com riqueza de detalhes tudo que seu antivírus faz, incluindo o momento em que ele é inicializado, os horários em que encontra ameaças e muito mais. Neste item é possível filtrar os detalhes por tipo de ocorrência, opção útil para casos em que você procura visualizar apenas algum erro ou detecção.


Local Protection (Proteção local)


• Escaneador (Scanner): Vasculha o computador em busca de arquivos infectados. O tempo de varredura não é dos mais rápidos, contudo isso ocorre em decorrência à investigação minuciosa do Avira AntiVir Personal Edition Classic. Caso algo seja encontrado, o programa interrompe o scanner, permitindo ao usuário escolher entre as opções de ação, podendo apagar os arquivos, mantê-los no computador ou jogá-los na quarentena se achá-los suspeitos.


• Guardião (Guard): O guardião protege o seu computador em tempo real. Se você, ao entrar em um site fraudulento ou instalar um programa perigoso, deparar-se com ameaças, o guardião entra em cena e age de forma imediata, dando um fim às pragas virtuais. É ótimo para quem navega muito na web ou instala softwares regularmente e não quer se preocupar com ameaças diversas.



Administration (Administração)

• Quarentena (Quarentine): Quarentena é um período de quarenta dias onde são isolados possíveis contágios e epidemias biológicas, numa alusão ao Estado de Sítio. Na computação o conceito é semelhante, todos os arquivos suspeitos ou que possuem perigos em potencial são deslocados para esta seção, não interferindo mais no funcionamento do computador.


• Agenda (Scheduler): Área onde você pode programar tarefas, tais como: análise dos arquivos e atualização.


Mais configurações para o programa

No topo do programa você encontrará um botão chamado Configuration (Configurações). Basta clicar nele para abrir as configurações do antivírus e personalizá-lo. Ativando uma caixa chamada Expert Mode você verá muito mais configurações. Entretanto, são um tanto quanto avançadas.


É possível definir opções muito específicas, como o que o Avira deve fazer no caso de encontrar uma nova ameaça. Assim, você pode mandar o programa agir automaticamente, mandando tudo para a quarentena de uma vez só, por exemplo. Ou então, deixar para que você decida o que fazer. Tudo visando a melhor experiência para o usuário.

Mais de 4.809.191 usuários, inclusive eu, ja fizeram downloads deste excelente antivírus. E você, está esperando o que? Baixe agora por http://download580.mediafire.com/yyzmebi3jwfg/nzi51jtmwly/avira_antivir_personal_en-Baixaki.exe e elimine as pragas, ameaças da internet do seu computador

Recupere Arquivos Deletados Acidentalmente

"Excelente programa para você restaurar arquivos deletados do seu disco rígido, pendrive, câmera digital etc."

DiskDigger é uma ferramenta gratuita capaz de vasculhar afundo seu sistema em busca de arquivos excluídos na tentativa de recuperá-los. O programa pode procurar por itens dentro de pendrives, câmeras digitais, cartões de memória e, obviamente, em seu próprio disco rígido.

Se você deletou algum arquivo que agora está sendo importante, DiskDigger é a solução prática e eficiente para o seu problema. Com uma interface intuitiva, bem organizada e fácil de usar, com poucos cliques você pode restaurar muitos aplicativos perdidos. Além de fotos, vídeos e músicas, o programa também encontrar documentos de diversos formatos. Para especificar melhor, DiskDigger suporta DOC, PDF, MPG, MP3, AVI, WAV, WMV, MOV, RM, OGG, FLV, FLAC, MID, JPG, PNG, BMP, DCR, CR2, SR2, NET TIF e GIF.

Para começar a usar o programa é muito simples. Ele não requer instalação, portanto basta descompactá-lo e acessá-lo. Logo em sua tela inicial, há uma lista dos drivers disponíveis que ele pode vasculhar. Isso inclui desde seu disco rígido até qualquer aparelho conectado por USB. Então basta selecionar em qual a pesquisa deve ser feita e clicar em "Next", opção situada abaixo da interface.

Uma vez tendo selecionado o driver em que a pesquisa deve ser feita, é a hora de selecionar quais formatos de arquivo devem ser buscados. Se você busca por algo específico, que seja, por exemplo, uma imagem, é melhor desativar a busca de documentos ou aplicativos de áudio e vídeo, pois essa parte funciona como uma espécie de filtro para o programa. Feito isso, clique em "Next" novamente e o DiskDigger começará a trabalhar automaticamente.

Acompanhe o progresso da operação através da barra situada no topo da interface. O escaneamento pode ser um pouco demorado, mas o programa permite até que você faça um preview dos arquivos encontrados. Eles ficarão todos listados no canto esquerdo, e caso você queira trazê-los devolta ao seu computador, basta selecionar os desejados e clicar em "Save Picture" (para imagens), "Save Document" (para documentos) ou "Save File" (para músicas e vídeos).

Se você está desesperado para recuperar um arquivo, calma é só baixar este programa por este link e desfrutar deste maravilhoso programa
http://dmitrybrant.com/files/diskdigger.zip



Pendrive com Vírus

Hoje em dia quase todo mundo tem um Pendrive. Esse pequeno e útil objeto veio de vez para substituir os famigerados disquetes e, em alguns casos, até CDs e DVDs.

É indiscutível a utilidade do pendrive e, sabendo disso, os desocupados de plantão criadores de vírus e pragas resolveram criar algumas pragas que se disseminam através de pendrives.

Como um pendrive pode “viajar” em vários computadores, os vírus e programas prejudiciais voltaram alguns anos na história e estão se disseminando através de um método parecido com o utilizado em disquetes antigos. Ao inserir o pendrive infectado no computador, é executado automaticamente um programa que instala essas pragas em seu computador, contaminando também outros pendrives que forem conectados à máquina. No caso dos antigos disquetes, o programa malicioso se instalava muitas vezes na área de boot dos disquetes fazendo com que o sistema operacional fosse infectado automaticamente apenas com a inserção e leitura do disco. Como os pendrives geralmente não possuem área de boot, os desocupados conseguiram imaginar (nem precisou de muita imaginação) que um pendrive é detectado automaticamente como uma nova unidade de disco no Windows. Sendo assim, basta o mesmo contenha um arquivo chamado “autorun.inf” para que, ao ser detectado, o Windows automaticamente leia esse arquivo e execute as instruções nele contidas.

Por sorte é possível que essa função seja desabilitada do Windows. Função essa que, ao meu ver, nunca teve muita utilidade. Siga os procedimentos abaixo para desabilitar a função de execução automática desses arquivos. Lembrando sempre que, caso não se sinta à vontade para executar os procedimentos abaixo é sempre recomendado que você procure um profissional da área que estará mais familiarizado com a manipulação dessas ferramentas pois qualquer erro pode significar a inutilização de alguma parte ou todo o sistema operacional.

Siga os seguintes passos: Clique no Menu Iniciar e, em seguida, na opção “Executar”. Na caixa “Executar” digita (sem aspas) “gpedit.msc”. Isso fará com que abra a janela “Diretivas de Grupo” do Windows XP. Dentro das “Diretivas de Grupo“, abra “Configuração do Computador“, “Modelos Administrativos“, “Sistema“. Dentro da pasta “Sistema” você deverá localizar o item “Desativar AutoExecutar” e clicar duas vezes sobre essa opção. Abrirá então a caixa “Propriedades de Desativar AutoExecutar” onde você deverá marcar a opção “Ativado“. Clique em OK para concluir a operação e feche todas as janelas abertas nesse procedimento.

Executando esses simples passos você estará prevenindo que seu computador execute automaticamente qualquer instrução e/ou programa que estejam nos discos inseridos. Note que após executar esses procedimentos, ao inserir um CD-ROM, DVD e/ou Pendrive, seu Windows XP não mostrará mais aquela caixinha de tarefas que aparecia quando você inseria um novo disco.
Caso alguém saiba os passos a serem executados no Windows Vista, favor enviar via comentários. Sintam-se à vontade também para fazer críticas e/ou sugestões através dos comentários.

Editado: Após marcar a opção “Ativado” nas “Propriedades de Desativar AutoExecutar” é necessário escolher a opção “Todas as unidades” na caixa “Desativar Executar automaticamente em” que aparecerá após selecionada a opção “Ativado“. É esse detalhe que garantirá que nenhuma unidade estará apta à executar comandos automaticamente.

domingo, 19 de abril de 2009

Internet à Eletricidade

Nova tecnologia está chegando ao Brasil: internet pela tomada

Internet de banda larga é a internet dos sonhos de todo internauta. Mas até agora ela é cara e não está disponível em todos os lugares.

Mas a Anatel regulamentou nesta segunda-feira a internet de banda larga poderá chegar à sua casa de um jeito muito fácil: pela tomada de luz O computador é de primeira. A tela das grandes, mas a velocidade da internet. "Muito lento, é cara e lenta". O analista de sistemas Jeferson Teixeira depende da internet para trabalhar, mas desde que se mudou para a casa nova em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, não conseguiu ter o serviço de banda larga. Três meses de tentativa e se houvesse internet na tomada da energia elétrica? "Eu acho que seria a solução, eu poderia colocar em qualquer parte da casa". O sistema já existe e foi regulamentado nesta segunda-feira pela Anatel. Funciona mais ou menos como uma TV a cabo. A empresa que fornece o serviço de internet libera o sinal para rede de energia elétrica. Esse sinal viaja pelos fios até a casa do usuário. Lá ele vai precisar de um aparelho, um modem, ligado a qualquer tomada da casa que vai permitir o acesso á internet rápida. No Brasil o sistema já está sendo testado em Barreirinhas no Maranhão, em Goiânia, São Paulo, Santo Antônio da Platina no Paraná e em Porto Alegre. O internauta brasileiro vai ter que esperar um pouco mais essa nova internet. Ela só vai estar disponível depois de um acordo entre as empresas de telecomunicações e as concessionárias de energia elétrica. A Anael, Agência Nacional de Energia Elétrica, já esta estudando o assunto para criar as regras de exploração do serviço. Em São Paulo, o Engenheiro Clinton Namur participa dos testes da internet via rede elétrica. Ele acessa a web de onde quiser, de qualquer parte da casa que tenha uma tomada. "Se eu quero assistir um joguinho, por exemplo, eu assisto aqui, eu ponho nessa posição, se eu quero ler como se fosse um livro, eu levo para o quarto", diz. Clinton diz que a velocidade ficou bem mais rápida. "Eu achei fantástica essa idéia, que eu abracei desde o começo e acho que para mim está atendendo perfeitamente, maravilhoso", completa Clinton.

Acelere sua Conexão Discada!!!

Deixe sua Internet um pouco mais Rápida... ...

Existem duas formas de deixar a sua internet um pouco mais rápida:

Primeira Forma

botão Iniciar, (do Windows) vá em executar digite gpedit.msc e dê Ok. Acesse o item Configuração do computador, clique em Modelos Administrativos e depois em Rede. Selecione na janela da esquerda a opção Agendador de pacotes QoS. Na janela da direita, dê um duplo clique em Limitar largura de banda reservalvel. Uma outra tela será aberta. Marque a opção Ativado
e em limitar Largura de banda (%), altere o valor de 20 para 0 e clique em OK. Depois reinicie o seu Computador e pronto. OK. Depois reinicie o seu Computador e pronto.

Segunda Forma

1° Clique em INICIAR (lá embaixo no canto esquerdo da sua tela)
2° Clique agora em PAINEL DE CONTROLE...
3° Clique depois em SISTEMA...
4° Agora clique na aba HARDWARE
5° Clique em GERENCIADOR DE DISPOSITIVOS...
6° Clique no sinal de "+" em PORTAS (COM &LPT)
7° Agora Clique em PORTA DE COMUNICAÇÃO (COM1)
8° Clique na aba CONFIGURAÇÕES DE PORTA
10° Vá até a opção BITS POR SEGUNDO e escolha a ultima opção (que é a mais rápida)
11° DEPOIS REINICIE O SEU COMPUTADOR E CONECTE NOVAMENTE, PRONTO!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Quer aumentar a privacidade de seu PC??


"Aumente a privacidade do seu computador instalando uma ferramenta de exclusão definitiva de arquivos."

Qualquer arquivo excluído do sistema não é imediatamente apagado. Ele permanece no seu disco rígido até que um outro dado seja gravado no lugar daquele que foi removido. Isso é um prato cheio para curiosos e bisbilhoteiros de plantão, que podem utilizar programas de recuperação para visualizar dados que não deveriam mais estar disponíveis.
Assim como existem ferramentas que recuperam arquivos excluídos, mesmo os que já foram excluídos da lixeira existem o Prevent Restore, que varre o seu disco em busca de dados excluídos e os torna irrecuperáveis. Esse procedimento é especialmente útil quando você não quer que dados confidenciais possam ser recuperados mesmo após removidos. O Windows também pode armazenar informações importantes no arquivo de paginação do sistema, o que pode colocar seus dados em risco, mesmo depois de excluídos.

Excluindo sem dó

O funcionamento do Prevent Restore se dá da seguinte maneira: espaço livre no seu disco rígido ou removível não está necessariamente vazio. Arquivos que foram removidos continuam lá até serem sobrescritos. É justamente assim que programas de recuperação conseguem trazer novamente à vida os arquivos excluídos e também é justamente este o alvo do Prevent Restore. O programa localiza tais dados e os sobrescreve com informações aleatórias, como espaços, traços, números ou letras.




Lembre-se de que o tempo tomado pelo programa para finalizar o processo dependerá diretamente de quanto espaço livre você tem em disco, pois é nele que o programa faz o diagnóstico para encontrar arquivos removidos e posteriormente os inutiliza.

Como usar?

O Prevent Restore tem um processo simples de utilização, baseado nos já conhecidos sistemas de assistentes. Você iniciará o programa e escolherá cada opção que deseja que seja executada. No final, a ferramenta fará uma varredura completa através do espaço livre em disco, em busca de dados excluídos e não sobrescritos. Quando forem encontrados, tais dados serão substituídos com base nas opções que você configurou.





O Prevent Restore veio para preencher uma lacuna que causava muitas dores de cabeça. Programas de recuperação de dados podem se tornar perigosos dependendo de onde são usados. Por isso, computadores de empresas ou mesmo domésticos, que precisam apagar definitivamente os dados confidenciais, estarão salvos do perigo se utilizarem o Prevent Restore. Se você quer ficar tranquilo a respeito daquilo que excluiu e deve permanecer excluído, o Prevent Restore é o seu download.


Se você quer adiquirir este ótimo programa é só clicar aqui>>> http://privacyroot.com/software/setups/setup_prevent_restore.exe